quarta-feira, 13 de junho de 2012

QUANTO DURA O INTERVALO NO TEMPO REGULAMENTAR?

No seguimento do último post, hoje abordo a questão da duração do intervalo entre a 1ª e a 2ª parte do tempo regulamentar. Os prolongamentos são outra história.

Se eu perguntar "quanto tempo podem os treinadores falar com os atletas durante o intervalo?", toda a gente me vai responder "10 minutos".
Ok, em teoria sim... mas são 10 minutos para as equipas estarem no balneário?
Não.

Vejamos a regra:

Regra 2 - Tempo de Jogo, Sinal Final e Tempo de Paragem
Tempo de jogo
2:1 O tempo de jogo normal para todas as equipas com jogadores de idade superior a 16 (inclusive) é de 2 partes de 30 minutos cada. O intervalo entre ambas é normalmente de 10 minutos.
O tempo de jogo normal para as equipas mais jovens é 2 x 25 minutos para as idades entre os 12 e os 16 e 2 x 20 minutos para as idades entre 8 e os 12. Em ambos os casos o intervalo entre as duas partes é normalmente de 10 minutos.
A questão é: quando começam a contar os 10 minutos?
Imediatamente a seguir ao soar da buzina para fim da 1ª parte.

Nada obriga uma equipa a ir ao balneário no intervalo, pelo que nada autoriza a equipa que vai a ter direito a mais tempo.

Os intervalos têm 10 minutos, mas não são 10 minutos "úteis".
Tal como no time-out de equipa as equipas têm de estar prontas a começar o jogo ao fim dos 60 segundos, também após o intervalo as equipas têm de estar prontas a começar a 2ª parte ao fim de 10 minutos.

Se penso que 1 minuto a mais é grave? Por um lado, acho que não. Por outro, acho que se está a beneficiar a equipa que infringe a lei e a prejudicar a equipa que a cumpre...

Também aqui acho que os oficiais têm de ter mais responsabilidade para cumprir os regulamentos, mas também os árbitros têm a obrigação de ser um pouco mais exigentes e mostrar que eles existem e são para levar a sério.

4 comentários:

Observador disse...

Como sabe, Carlos, os oficiais de mesa tocam a busina avisando atempadamente que o tempo de intervalo está a esgotar-se.

Daqui para a frente, prevalece a vontade das mesmas e/ou dos seus responsáveis.

Ao décimo primeiro minuto após o termo da primeira parte, tudo deve estar pronto para o reinício da partida.

Alguma complacência não faria mal mas os abusos seguir-se-iam.

Para não beneficiar os prevaricadores e prejudicar os cumpridores, entendo que se deve 'escrever' a razão pela qual a segunda parte começou mais tarde.

Motivo para disciplina? Decida a FAP.
Assim é que deve ser.

Aquele abraço

Carlos Capela disse...

Discordo apenas de uma coisa: os oficiais de mesa não tocam a buzina ao intervalo.
Quando as equipas partem para o intervalo têm de saber que dentro de 10 minutos o jogo recomeça, sem lembretes...

Em tudo o resto, perfeitamente de acordo!

Um abraço.

Observador disse...

Lapso meu, Carlos.

Inadmissível - à cause - a confusão foi com os 'time-out'.

Abraço

Carlos Capela disse...

Perdoadíssimo! ;)
Abraço.