quinta-feira, 3 de abril de 2014

A ACEITAÇÃO DE UMA DECISÃO

Peço que, antes de ler o texto, vejam este vídeo.

video

Este vídeo tem 3 momentos que destaco:

  1. Falta atacante muito bem assinalada, o que me parece nem sequer sofrer contestação;
  2. Cartão vermelho claro, na minha opinião com obrigatoriedade de relatório;
  3. Mas o mais importante de tudo, pelo menos para este post, é o que acontece aos 16 segundos:
    a forma como o cartão vermelho é mostrado pelo árbitro e aceite pelo atleta.
Por que motivo se torna difícil, em tantas situações, sermos aceites ao tomar decisões em situações claras?
É verdade que muitas das nossas decisões não são unânimes e passíveis de contestação. Entendo o protesto como normal no desporto, principalmente em desportos de contacto como o nosso. Como tal, longe de mim criticar uma reação negativa a uma decisão nossa, até porque eu próprio as tinha quando jogava e não concordava com as decisões dos árbitros.

A questão que levanto neste post é diferente... Existem muitas situações em que as nossas decisões são claras, porque o que aconteceu no jogo não permitiu qualquer dúvida, como neste caso. E mesmo assim as decisões dos árbitros são contestadas. Ainda que tenhamos de estar preparados para essas situações, custa sempre não sermos aceites.

No entanto, não deixo de referir que parte de nós, árbitros, mostrar abertura para a aceitação das nossas próprias decisões. Quem me conhece, sabe que sempre que posso não me importo de justificar as minhas decisões, desde que sejam corretos comigo. E, no meio da competição típica de qualquer partida, penso que há sempre lugar ao respeito e ao fair-play.

2 comentários:

Handerson Silva disse...

Parabéns, estamos precisando de iniciativas como esta (Blog). Como é divulgado em via mundial (interent) alguns casos podem ser bem esclarecido como no sucinto texto supra citado. Logo, então muitas as vezes a desqualificação não seja sempre bem aceita, ao lerem e ao interpretarem posteriormente suas ações, concerteza admitiram sua atitude como inválida e nosso julgamento com acertivo (assim espera-se!).
Parabéns

Carlos Capela disse...

Obrigado! Espero que usufrua deste blogue para todas as questões que lhe possam surgir!