sábado, 10 de maio de 2014

DURAÇÃO DO ATAQUE APÓS PASSIVO

Um jornal desportivo (Record) adiantava, na sua página online, o seguinte, acerca do basquetebol:
Ora, apesar de algumas pessoas (se calhar algumas ligadas ao andebol...) poderem ser contra esta medida no basquetebol, nós também já temos algo parecido nas nossas regras.
Quando uma equipa está na iminência de jogo passivo (árbitros com braço levantado), o passivo "vai abaixo", como é designado esse momento em linguagem corrente, se acontecer uma das seguintes situações:

  • houver sanção disciplinar para a equipa defensora;
  • a equipa atacante efetuar um remate à baliza, o guarda redes defender e a bola ressaltar para a equipa atacante;
  • a equipa atacante efetuar um remate à baliza, a bola bater nos postes ou trave da baliza e ressaltar para a equipa atacante.

Ora, neste caso, o tempo de ataque que deve ser autorizado à equipa não é o mesmo, comparado com as situações em que uma equipa "acaba de chegar" ao ataque. A regra diz que deve ser permitida à equipa "uma nova fase de organização". Esta fase é para reorganizar o ataque, de forma mais rápida, e para manter a procura ativa de uma situação de golo.
Relembro que não há uma questão de "tempo" no andebol, para marcação de jogo passivo. Existe uma questão de "atitude" da equipa com posse de bola. E é essa atitude ofensiva que tem de ser levada em linha de conta na avaliação destas situações. É por este motivo que existem passivos após 20 segundos e outros após 40.

3 comentários:

Reporter disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Carlos Capela disse...

(comentário editado por mim)

Carlos, soube há pouco tempo da vossa decisão. Que lamento mas compreendo.
Já deixei o meu comentário no Banhadas, como anónimo, mas não quero deixar de aqui vos desejar as maiores felicidades.

Vocês foram grandes. Vocês cedo mereceram o meu respeito. Vai sentir-se a vossa falta, directa ou indirectamente.

(...)

Têm, em mim, um amigo com quem podem contar. Apesar de já não ser delegado - (...) - estou cá.
Um forte abraço que peço transmita ao Bruno.

Sou o António Dias (CIPA 5135) e o meu e-mail é antoniodias23@gmail.com
Disponham

Carlos Capela disse...

Muito obrigado pelas suas palavras, António!
São palavras que significam muito para nós.
Apenas lhe peço desculpa por ter de editar o seu comentário. Fi-lo pela simples razão de que nunca aceitei como comentário, neste blogue, uma crítica a outra pessoa que não eu próprio.
Um grande abraço!