quinta-feira, 31 de maio de 2012

3 TIME-OUTs POR EQUIPA?

Pediram-me, há alguns dias, um comentário sobre a permissão de 3 paragens de tempo por equipa.

Não sou a favor dos 3 time-outs por equipa, até porque isso contraria os princípios que a IHF andava a seguir em cada revisão de regras, orientações e precisões, na tendência de tornar o jogo mais espetacular e mais atrativo. Isso esteve na base, por exemplo, da recomendação para não parar o tempo de jogo aquando da marcação de livres de 7m.
Mais paragens vão tornar os jogos mais lentos e demorados, cortando beleza e espetáculo.
O valor do treino semanal efetuado pelas equipas também poderá ser minimizado, uma vez que os atletas poderão sofrer mais as intervenções do seu treinador durante os jogos. Ganha vantagem aqui quem tiver treinadores com mais visão de jogo.
Acho que os 2 tempos de equipa são mais que suficientes, pois uma boa equipa, quando vai para o campo, tem de saber o que fazer e quando fazer, tem de estar suficientemente treinada para saber reagir no momento certo. É isso que distingue as boas equipas das outras.


Se não estou a cometer um lapso, as equipas podem solicitar um máximo de duas paragens de tempo de jogo em cada parte, exceto nos últimos 5 minutos de jogo, em que só podem pedir uma paragem no máximo.
A tendência será, muito possivelmente, a de os treinadores solicitarem uma paragem pouco antes dos 25m da 2ª parte, para poderem usufruir de "mais tempo" com os seus atletas. Pelo menos, é uma teoria...

Vejamos uma possibilidade:
Se cada técnico pedir um time-out entre os 24m e os 25m da 2ª parte, e ambos voltarem a fazer o mesmo entre os 25m e os 26m, em 2 minutos de jogo "corrido", o jogo pode estar parado durante 4 minutos!
Para os técnicos e atletas pode ser bom, mas não sou ninguém para opinar sobre isso (se algum técnico ou atleta que ler este blogue quiser opinar, poderá e deverá fazê-lo, até para eu saber qual a visão de quem está a orientar uma equipa ou a jogar).
Para os árbitros acaba por ser indiferente.
Para o público e o espetáculo, acho francamente mau.

Mas esta é só uma visão das coisas...

5 comentários:

Deeplay disse...

boa tarde

citando parte do seu texto:
"Se não estou a cometer um lapso, as equipas podem solicitar um máximo de duas paragens de tempo de jogo em cada parte, exceto nos últimos 5 minutos de jogo, em que só podem pedir uma paragem no máximo.
A tendência será, muito possivelmente, a de os treinadores solicitarem uma paragem pouco antes dos 25m da 2ª parte, para poderem usufruir de "mais tempo" com os seus atletas. Pelo menos, é uma teoria... "

peço desculpa mas entendi o seu pensamento.
Cada equipa pode pedir 2 time-out mas 1 em cada parte...
nao entendo essa questao do limite nos ultimos 5minutos de cada parte.

Carlos Capela disse...

Este post foi feito sobre as diretrizes da IHF acerca dos time-outs de equipa.
Ainda não estão em vigor nos campeonatos, mas penso que já houve uma competição internacional como teste.

E essas diretrizes dizem que uma equipa poderá solicitar 3 time-outs por jogo, sendo que no máximo serão 2 numa parte (não pode esgotar os 3 numa parte).
A única restrição serão os últimos 5 minutos de jogo, em que só pode ser pedido um time-out.

Já não sei onde li isto, confesso, mas sei que foram feitos testes neste sentido.
E daí o pedido que me foi feito para fazer este post...

Observador disse...

O que se pratica, neste momento, nos campeonatos em Portugal, é a possibilidade de cada equipa ter o direito a um 'time-out' em cada parte do jogo.

O que a IHF anda a estudar não passa disso. De um estudo.

Fico espantado que sendo a EHF e a IHF, e bem, defensoras das demoras no tempo de jogo, queiram fazer aprovar mais 'time out's'.

Vamos aguardar, Carlos.

Um abraço

Observador disse...

Queria eu dizer que a IHF e a EHF não são defensoras no tempo de jogo...

Sorry

Carlos Capela disse...

Claro. Também por isso (se calhar especialmente por isso) duvido que essa medida venha a ser implementada.

3 time-outs por jogo parece-me péssimo para o espetáculo, tal como já disse.