quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

ZONAS DE SEGURANÇA

Pouca gente pensa numa coisa que é de extrema importância para a segurança de todos os que estão dentro de campo, árbitros e atletas: as ZONAS DE SEGURANÇA. Muita gente poderá pensar no que são elas, mas elas estão definidas até pelo livro de regras, logo na primeira regra, no segundo parágrafo:

1:1 (...)
Deverá existir uma zona de segurança em volta de todo o terreno de jogo, com uma largura mínima de 1 metro na zona das linhas laterais e 2 metros na zona das linhas de saída de baliza.
(...)
Na fotografia seguinte podemos ver as zonas a vermelho.
Poder-se-á pensar que é um preciosismo do livro de regras ou da minha parte, mas não é. Há várias ocasiões em que a não existência de uma boa margem de segurança põe em causa o normal desenrolar do jogo e a boa aplicação da técnica de arbitragem. Vejamos alguns casos:
  • Contra-ataque rápido, em que o árbitro é apanhado desprevenido por um jogador que contra-ataca... vai fugir para onde?
  • Contra-ataque em que o jogador remata e não trava a tempo;
  • Contra-ataque em que o jogador é empurrado e perde o equilíbrio;
  • Jogadores pontas que passam rente aos pés dos jogadores que estão no banco;
  • Árbitros que têm de travar antes do tempo para não irem contra a parede, perdem o correcto ângulo de visão do lance;
  • Árbitros que têm de apitar muito próximo da linha de fundo, quase dentro do campo, perdem a mobilidade devido ao pouco espaço;
  • ...

Há muitos factores que mostram bem a importância das zonas de segurança. Funcionam como escapatória, como margem, para atletas e árbitros.

Na imagem em cima vê-se uma óptima zona de segurança. Não só permite o espaço para os jogadores estarem mais seguros, como até permite espaço para respirar a quem está lá dentro...

Fica o alerta aos clubes para atentarem nestes pormenores e tentarem criar estas condições sempre que possível. Também para bem dos seus próprios atletas...

9 comentários:

Pedro Tomaz disse...

Mais uma questao bastante importante levantada por si.

Mais uma vez parabens pela continuaçao do excelente trabalho Sr Capela, "amigo do andebol" ! :D

Abraço

Anónimo disse...

a 1 foto e gande Pavilhão Desportivo da Horta! :)
Raul

Anónimo disse...

Senhor capela mas ha aqui uma questão pertinente que levanto... e quando colocam os cartazes de publicidade algumas dessas zonas de segurança deixam de existir por exemplo nas linhas laterais (1 metro)??
Raul

Carlos Capela disse...

Quem anda lá dentro apercebe-se de certas coisas menos boas da nossa modalidade (e de todas!), e se eu puder dar o meu contributo e alertar não hesito, Pedro...

Raul, lamento informar que a foto não é do pavilhão da Horta, que também conheço bem... :)

É uma questão pertinente, sim. Entendo que por vezes surge a necessidade de "ceder" a compromissos publicitários, mas o perigo continua lá. Em muito menor escala, mas continua. Ir contra um painel publicitário é preferível que ir contra uma parede de tijolos! :)

Pedro Tomaz disse...

Ja agora, Pavilhao Francisco de Holanda :D

Carlos Capela disse...

Exactamente... é um exemplo de pavilhão que respeita as zonas de segurança.

azoreanspirit disse...

não entendi aquela do pavilhão do horta. Espero eu, e todos os açoreanos que andam no andebol, que aquela frase não seja puro sarcasmo...

Carlos Capela disse...

Que sarcasmo? Da minha parte ou da parte do Raul?
Penso que nenhum dos dois pensou em tal coisa! O Raul pensou que a foto era do pavilhão do Horta e eu disse que não era!

Anónimo disse...

Senhor Azorean Spirit
Se o ofendi não foi com intuito, nem foi sarcasmo nenhum da minha parte, pois quando olhei para a foto de repente, a imagem era um pouco semelhante ao Pavilhão da Horta, mas claro observando bem, não tem nada haver! Digo lhe mais.... fui andebolista vários anos, pelo clube de que muito me orgulho, o Sporting da Horta! Primeiro começamos por treinar no ringue da sede do Sporting, e posteriormente passamos para o pavilhão onde se calhar não apanhaste o piso sintético do mesmo!
abraço e saudações
Raul